Amostra e métodos analíticos

O processo de escolha de um método depende de alguns fatores, dentre os quais os mais importantes são a quantidade de amostra e a concentração do analito. Os métodos analíticos podem ser classificados de muitas formas diferentes. Às vezes distinguimos um método de identificação de espécies, um método qualitativo, de um que determina a quantidade de um constituinte, uma análise quantitativa. Os métodos quantitativos são classificados tradicionalmente como clássicos ou instrumentais. Outra maneira de se distinguir os métodos baseia-se na dimensão da amostra e nos níveis dos constituintes. Assim uma macroanálise é empregada para as amostras com massa superior a 0,1 g. Uma

Classificação dos analitos pela dimensão da amostra

semimicroanálise é realizada em uma amostra na faixa de 0,01 a 0,1 g, enquanto as amostras para uma microanálise estão na faixa entre 10-4 e 10-2 g. Para amostras cuja massa é menor que 10-4 g, algumas vezes o termo ultramicroanálise é empregado. outra questão existente na amostra são os tipos de constituintes (analitos) cujo procedimento analítico pode abranger uma enorme faixa de concentração. Em alguns casos, os métodos analíticos são usados para determinar constituintes majoritários. Esses constituintes estão presentes com peso relativo entre 1% e 100%. Muitos dos procedimentos gravimétricos e alguns volumétricos constituem exemplos de determinações de constituintes majoritários. As espécies existentes na faixa de 0,01% a 1% são geralmente denominadas constituintes minoritários, enquanto aquelas presentes em quantidades entre 100 ppm (0,01%) e 1 ppb são chamadas constituintes traço. Os componentes existentes em quantidades menores que 1 ppb são normalmente

Classificação dos tipos de constituintes pelo nível do analito

considerados como sendo constituintes ultratraço. As determinações de Hg na faixa de ppb a ppm em amostras de 1 μL (≈ 1 mg) de água de rio podem ser consideradas uma microanálise de um constituinte traço. As determinações de constituintes traço e ultratraço são particularmente complexas devido à presença de interferentes e contaminações potenciais. Em casos extremos, as determinações devem ser conduzidas em salas especiais, que são mantidas meticulosamente limpas e livres de poeira e outros contaminantes. Um problema geral em procedimentos envolvendo constituintes traço é que a confiabilidade dos resultados geralmente decresce drasticamente com a diminuição do nível do analito.

Fonte: Skoog et al, Fundamentos de Química Analítica

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *