Misturas heterogêneas

As misturas podem ser homogêneas (quando apresentam apenas uma fase visível, aspecto uniforme), ou heterogêneas, quando o seu aspecto visual não é uniforme ao longo de toda a sua composição. Uma mistura heterogênea pode conter dois ou mais componentes e apresentar duas ou mais fases visíveis identificáveis. As misturas heterogêneas estão muito presentes em nosso cotidiano, podendo ser sólidas, líquidas ou gasosas. Por exemplo, um copo com água e gelo, que bebemos quando está calor e estamos com sede, é uma mistura heterogênea. No sistema água potável + gelo, embora exista apenas água potável (no estado líquido e estado sólido) há duas fases visíveis diferentes, uma fase é a água líquida, a outra fase é o gelo, que é água no estado sólido. Uma nutritiva salada de verduras ou salada de frutas são misturas heterogêneas, nas quais há vários componentes distintos, com composição e aparências diferentes. Em uma salada de verduras, a folha de alface é uma fase da mistura, a fatia de cenoura é outra fase, os grãos de pimenta do reino compõem outra fase, assim como as fatias de tomate e folhas de hortelã que podem compor a salada. O tradicional e nutritivo prato de comida brasileira, que contém arroz e feijão é uma mistura heterogênea, principalmente quando misturamos o arroz no feijão. Nesta mistura de arroz e feijão, há pelo menos duas fases diferentes, a primeira é o arroz e a segunda é o feijão. Se observarmos de maneira precisa, perceberemos que o feijão, por si só, já é heterogêneo, pois possui a casca com uma composição e aparência e a massa do interior com outra composição e aparência. Dessa forma, pode-se afirmar que a mistura de arroz e feijão é um sistema heterogêneo com pelo menos duas fases distintas. Além dos exemplos citados, há outros diversos sistemas que representam misturas heterogêneas e estão presentes em nosso cotidiano.

Fonte: Quiprocura Química

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *