Termos usados na Química Analítica

Na Química são usados cotidianamente os seguintes termos

Análise 
Uma determinada análise representa o mecanismo pelo qual são obtidas informações químicas ou físicas a respeito dos constituintes de uma amostra ou da própria amostra.

Exemplo: Análise da glicose em uma amostra de sangue.

Analito 
São os constituintes de interesse da amostra.

Matriz 
A matriz representa todos os constituintes da amostra excluindo os analitos.

 Medida 
Medida é a determinação experimental de uma propriedade química ou física do analito.

Técnica 
Uma técnica representa um princípio químico ou físico que pode ser usado para analisar uma amostra.
Exemplo: Fotometria de chama, espectrofotometria de absorção atômica, etc.

Método 
Um método representa a aplicação de uma técnica para a determinação de um analito específico em uma matriz específica.
Exemplo: Determinação do teor de vitamina A em complexos vitamínicos por titulometria de oxirredução.

 Procedimento 
O procedimento representa um conjunto de proposições que detalham a maneira correta de como aplicar determinado método.

 Protocolo 
O protocolo é um conjunto de orientações que detalham determinado procedimento que deve ser seguido para a aceitação da análise.

Interferência ou interferente 
Refere-se à determinada espécie que causa um erro na análise pelo aumento ou diminuição da quantidade que está sendo medida.

 Validação 
Prática responsável pela qualidade analítica. A validação representa a comprovação de que os métodos estão apropriados para os seus devidos usos.

Especificidade/seletividade 
Parâmetro que corresponde à capacidade do método em detectar o analito de interesse na presença de outros componentes da matriz.

Intervalo de trabalho 

O intervalo do método analítico corresponde à faixa do maior ao menor nível que possa ser determinado com precisão e exatidão.

Linearidade 
A linearidade refere-se à capacidade do método de gerar resultados linearmente proporcionais à concentração do analito, enquadrados em faixa analítica especificada.

Sensibilidade 
A sensibilidade é a capacidade do método em distinguir, com determinado nível de confiança, duas concentrações próximas.

Exatidão 
A exatidão representa a concordância entre o valor real do analito na amostra e o estimado pelo processo analítico.

Precisão 
Representa o parâmetro responsável pela avaliação da proximidade entre várias medidas efetuadas na mesma amostra.

Limite de detecção 

O limite de detecção representa a menor concentração do analito que pode ser detectada, mas não necessariamente quantificada, sob condições experimentais estabelecidas.

Limite de quantificação 
O limite de quantificação é definido como a menor concentração do analito, que pode ser quantificada na amostra, com exatidão e precisão aceitáveis, sob as condições experimentais adotadas.

Robustez 
A robustez é a medida da capacidade do método de permanecer inalterado sob pequenas, mas estudadas, variações nos seus parâmetros e prover indicação da sua dependência durante o uso normal.

Fonte: Portal da Educação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *